22/06/2013

As Cores do Coração



Viver com pessoas não é fácil.
Viver sem pessoas ainda é mais difícil.
Não há nada melhor do que uma casa cheia de amor, alegria e cumplicidade, mesmo com umas zangas pelo meio.
Não há nada melhor do que ter a família e os amigos por perto.
Mesmo assim, não é fácil. Por mais que se goste das outras pessoas, todos somos diferentes e todos temos dias maus. Todos precisamos do nosso espaço.
Por isso tenho pensado na sorte que é um casal manter-se unido uma vida inteira... em como a outra pessoa tem que ser especial para se chegar aos 20, 30 ou 50 anos casados, a partilhar a mesma casa, as mesmas histórias, as mesmas rotinas, sonhos e desilusões.

Como é que se escolhe essa pessoa? Tem que ser muito bem escolhida. Tem que ser escolhida com o coração.

Nos dias cinzentos temos que nos lembrar das cores do coração. Temos que nos lembrar de como somos especiais.



21/06/2013

Hoje o dia acordou assim

Cinzento. Chuva. Frio.
Nem parece que o verão já começou.
O que vale é que já falta pouco para as minhas férias! (eu aqui cheia de esperança de encontrar um verão maravilhoso em Portugal).


16/06/2013

Um passeio pela cidade


Hoje o dia foi de folga e de passeio. O passeio foi especial, tal como estes últimos dias têm sido, com a companhia de um casal de amigos, daqueles amigos que se tornam família e que sabe bem ter por perto.


Uma obra de arte... pois que os pássaros foram feitos para voar livremente.


 Cow Tower - A Torre da Vaca, uma torre militar construída no séc. XIV, que quando perdeu as suas funções acabou por abrigar vacas que por ali pastavam.




Depois da caminhada, soube bem sentar numa esplanada e beber café...eu não resisti a um chocolate quente com chantilli e marshmallows.


09/06/2013

Cupcakes de Baunilha e Creme de Manteiga




Hmmmm a delícia deste domingo.
Depois de uma semana de sol, calhou-me um fim-de-semana de folga cinzento e frio.
Os cupcakes foram uma bela desculpa para colorir o dia.

O cupcake, bolo de chávena, surgiu por volta do séc. XIX mas não há certeza se no Reino Unido ou na América. Os ingleses baptizaram-no de fairy cake (bolo das fadas) e os Estados Unidos de cupcakes.
Supõe-se que o nome esteja relacionado com o uso da chávena de chá como medida.



Ingredientes para a massa: (20 cupcakes)

  • 3 chávenas de farinha com fermento
  • 1 chávena de manteiga sem sal
  • 2 chávenas de açúcar refinado
  • 4 ovos grandes à temperatura ambiente
  • 1 chávena de leite
  • 1 colher (de chá) de essência de baunilha
Preparação:
  1. Amoleça a manteiga num tacho mas sem que derreta toda.
  2. Bata a manteiga numa tigela até que fique macia.
  3. Adicione o açúcar aos poucos e bata até obter uma massa fofa.
  4. Adicione os ovos, um de cada vez, e misture bem.
  5. Junte uma chávena de farinha, o leite, mais uma chávena de farinha, a essência de baunilha e uma última chávena de farinha. Envolva bem com uma espátula de silicone, mas sem bater muito a massa. 
  6. Numa forma para cupcakes coloque formas pequenas de papel.
  7. Encha 3/4 de cada forma de papel. Leve ao forno pré-aquecido a 190º, durante 20 minutos.
Deixe os cupcakes arrefecerem completamente. Com uma faca corte o centro sem chegar ao fundo, recheie com doce ao seu gosto ( eu escolhi um doce de frutos silvestres) e volte a tapar com o bocadinho de bolo que retirou.
Decore a gosto. Eu usei um creme de manteiga e baunilha.

Ingredientes para o creme de manteiga e baunilha:
  • 1 chávena de manteiga sem sal
  • 4 chávenas de açúcar de confeiteiro (açúcar em pó)
  • 1/2 chávena de leite
  • 1 colher de essência de baunilha
Preparação:
  1. Amoleça a manteiga num tacho.
  2. Numa tigela bata a manteiga e adicione o açúcar aos poucos.
  3. Junte o leite e a essência de baunilha. Bata até que a cobertura esteja grossa o suficiente para ser espalhada. Se achar necessário pode colocar no frigorífico durante cerca de 10 minutos.
  4. Se quiser pode adicionar algumas gotas de corante alimentar. Para aplicar utilize um saco de pasteleiro e um bico.


08/06/2013

Gatos

Na minha infância vivi rodeada de gatos.
Eram os nossos gatos que viviam livres no quintal e eram os gatos dos vizinhos.
Tive alguns brancos que baptizámos de Vitinho.
Tive algumas gatas que se chamaram Joana.
Tive gatos pretos misteriosos e aveludados. 
Um que mais parecia um cão, tínhamos que sair de casa muito depressa porque ele saía pelo quintal e seguia-nos pela cidade.
Vi alguns partos. De uma vez que uma Joana estava em trabalho de parto, lembro-me de não poder sair de ao pé dela, senão ela ia atrás de mim. Agarrei-lhe a pata por um momento que ficou eterno na minha memória.
Gatos que se tornam membros da família.

A Joaninha. Dá vontade de a sufocar com mimos e ela deixa.

A Joaninha com a mãe.

 A Mia e os filhotes acabados de nascer.

A Joaninha e os irmãos.

O Pipoca e o irmão (em 2005)

Numa janela de Alfama.

No meu quintal inglês. Uma agradável visita.

07/06/2013

Saudades da Minha Varanda de Lisboa


Alfama.
Miradouro de Santo Estêvão.
A minha varanda. Minha porque ali me senti em casa.
Foi minha enquanto vivi na Rua da Regueira.
Foi minha enquanto vivi na Rua dos Remédios.
Será minha sempre que lá voltar.










03/06/2013

Raviolis com Espargos e Molho de Manteiga e Menta


Ingredientes: (para 2 doses)
  • 250g de raviolis (escolhi com recheio de cogumelos)
  • 150g de espargos
  • 50g de manteiga
  • Azeitonas pretas
  • 10 folhas de hortelã-menta de tamanho médio
Preparação:
  1. Comece por cortar os espargos. Usando as mãos consegue perceber qual a parte que não é usada, a ponta mais dura. Pique as folhas de hortelã-menta. Reserve.
  2. Coloque água num tacho e uma pitada de sal. Quando a água estiver a ferver adicione os raviolis, que deverão cozer durante cerca de 7 minutos.
  3. Numa frigideira em lume brando derreta a margarina, junte os espargos (que demoram 3 ou 4 minutos a fritar), uma pitada de sal e entretanto as azeitonas. pouco antes de retirar do lume junte a hortelã-menta.
Deverá servir de imediato.
Bom apetite!


02/06/2013

Quando o Sol se Lembra de Aparecer

O dia começa muito melhor.
Mais cor, mais sorrisos. As flores na janela da cozinha têm outra vida.
A mesinha no alpendre chama por nós. Conversa e risos.
Há mil coisas para fazer, mil planos para desfrutar!