31/10/2013

Do Samhain ao Halloween

O Halloween tem como origem o Samhain, que era a celebração celta da última colheita do ano, do fim do Verão e início do Inverno, que para eles era quando começava o Ano Novo.
Juntavam-se na noite de 31 de Outubro para um alegre banquete, iluminado por uma grande fogueira. Faziam oferendas aos Deuses e aos seus ancestrais, que nessa noite tinham mais facilidade em atravessar para o mundo dos vivos. 
Faziam-se adivinhações e previsões sobre o ano que aí vinha.
Em algumas tradições celtas os jovens corriam com tochas pelo limite das suas fazendas, como símbolo de protecção.
Os celtas não temiam a morte e aceitavam-na como algo necessário na vida.

Com a invasão dos Romanos e com as migrações ocorridas ao longo dos séculos, o povo Celta e os seus descendentes acabaram por adquirir outros hábitos, o que deixou a sua cultura camuflada em comemorações Católicas, como por exemplo o Samhain que coincide com o Dia de Todos os Santos. 
É possível que a Igreja Católica tenha tentado eliminar a festa pagã e revelar um lado negativo, de relação com o Diabo e energias negativas nessa celebração.

Um dos símbolos do Halloween é a abóbora iluminada, que tem como nome Jack o' lantern.
Um mito irlandês fala de um homem chamado Jack a quem apelidavam de avarento. Supostamente ele teria feito um pacto com o Diabo, segundo o qual não poderia ser recebido no Inferno quando morresse. Uma vez que também não foi permitida a sua passagem para o Céu, o Diabo mandou-o para a noite escura com carvão que ele acendeu dentro de um nabo esculpido, para lhe iluminar o caminho.
Esta história, porém, tem como base o costume dos celtas levarem para casa, já no final do banquete, uma brasa da fogueira dentro de um nabo oco, servindo de lanterna.

Na Irlanda e na Escócia as pessoas começaram as fazer as suas próprias versões de Jack o' lantern para afugentar os espíritos.

Crenças à parte, acho que é bom aproveitarmos todas as oportunidades para reunir amigos e familiares, partilhar momentos de felicidade e diversão e manter viva a nossa criança interior.

Assim sendo e para quem gosta de comemorar o Halloween, deixo algumas ideias giras como sugestão.













Sem comentários: